Escuteiros leirienses ajudam na reconstrução de aldeia

Na passada semana cerca de 50 caminheiros (escuteiros dos 18 aos 22 anos) de todo o país, entre os quais, Ricardo Maria, da Caranguejeira, e Inês Lopes e Diogo Jorge, da Memória, participaram no "Sol a Sol", uma atividade anual, cujo objetivo é reconstruir e manter a aldeia da Drave que, face à sua localização, não possui eletricidade, água corrente ou rede de telemóvel. O funcionamento e manutenção da Drave e de outros campos escutistas deve-se essencialmente ao voluntariado jovem. Na região escutista de Leiria-Fátima, a Quinta do Escuteiro, na Batalha, cerca de 40 voluntários são responsáveis por este campo que é considerado de Excelência desde 2017.