Ciclone Idai: apelo para ajudar quem perdeu tudo

Foi considerada a pior tempestade de sempre do hemisfério sul. Todas as cidades, vilas e populações estão debaixo de água e as habitações sem tectos que voaram. A Beira está sem acesso por via terrestre, pois a estrada N6 ficou destruída junto à cidade da Beira. Neste momento ainda há centenas de pessoas desaparecidas e são anunciadas centenas de mortos. Moçambique apela a toda a ajuda possível. Muitas ONG, organizações civis e empresas estão a organizar campanhas de recolha de bens e fundos de forma a poderem prestar auxílio a quem tanto precisa. Deixo aqui o meu apelo a todos os que possam contribuir para aqueles que tinham pouco e perderam tudo.

Ciclone Idai: enorme destruição no centro de Moçambique, Zimbabué e Malawi

Desde o passado dia 15 de Março e até dia 18 o centro de Moçambique foi afectado por condições meteorológicas muito adversas que destruíram praticamente toda a cidade da Beira e todas as vilas nas redondezas. O ciclone Idai entrou no canal de Moçambique no dia 13 e permaneceu até dia 15 encostado a Madagáscar. Foi previsto antecipadamente que iria entrar em Moçambique junto à cidade da Beira. Tal veio a acontecer no dia 15 entrando pela cidade do Dondo. O ciclone foi caracterizado por ventos muito fortes bem como chuva intensa. Da parte da manhã os ventos chegaram aos 100 km/h mas, a partir das 20 horas, os ventos ultrapassaram os 160 km/h e há informações de que tenham ultrapassado os 200km/h.